Revista Letras

A Revista Letras, ligada aos cursos de Graduação e Pós-Graduação em Letras da UFPR, é um periódico semestral (com números em junho e dezembro), voltado para as áreas de linguística, literatura e letras em geral. 

 


Imagem para capa da revista

Notícias

 

Prorrogação de prazo

 

Devido a instabilidade do sistema, o prazo de submissão da chamada abaixo foi prorrogado para 7 de setembro de 2019.

 

literatura brasileira do século XIX em debate: novos objetos, novas metodologias, novas interpretações


Organizadores: Pedro Dolabela Chagas (UFPR) e Valéria Augusti (UFPA)

 

Após o trabalho fundador realizado entre os anos 50 e 80 pelas gerações de Antonio Candido, Roberto Schwartz, Silviano Santiago, Luiz Costa Lima e Flora Süssekind... –, a pesquisa acadêmica recente tem renovado, de várias maneiras, a compreensão que se tinha da literatura no “longo século XIX” brasileiro, iniciado com a Independência e finalizado com a República Velha. Da perspectiva da produção literária, percebe-se os limites dos conceitos de escola literária ou movimento literário enquanto instrumentos de análise capazes de dar conta das características formais de um conjunto de obras.  As poéticas e retóricas clássicas, em lugar de verem seu ocaso nas letras coloniais, contaminam a produção literária e a crítica românticas, tornando porosas as fronteiras entre ambas, a mirada romântica contamina, por sua vez, a produção naturalista, dificultando as atribuições taxionômicas comumente aceitas.  As noções de centro e periferia vêem-se relativizadas por uma produção que se estende por todo território nacional e extrapola fronteiras nacionais graças à tradução de obras que atravessam o Atlântico rumo ao continente Europeu. Da perspectiva da circulação e recepção das obras, um sistema intenso de trocas intercontinental, proporcionado pela atuação de diversos agentes do mundo do livro põe abaixo qualquer perspectiva de isolamento ou atraso do Brasil no que tange ao campo das idéias e estabelece outras temporalidades, evidenciando que, levadas em conta as preferências do leitor, a história da literatura acabaria por fundar um cânone bem diverso daquele que conhecemos atualmente, com obras cuja popularidade ignora as fronteiras nacionais e estéticas. O mesmo pode se dizer do campo das práticas teatrais cujas pesquisas têm revelado verdadeira rede transnacional, conectando  a produção dramatúrgica e os agentes teatrais do Brasil, Portugal e França. Em suma, as pesquisas demonstram que a par da constituição dos Estados Nacionais dá-se um processo intenso de globalização cultural que não respeita fronteiras. O abandono da mirada endógena, calcada na produção nacional canônica estabelecida pela historiografia literária a partir do período pós-independência, traz para o centro de debates a produção literária feminina, humorística, pornográfica, revelando surpreendente variedade em contraposição à imagem consolidada pela pesquisa anterior. 

Nem sempre, porém, essas perspectivas têm entrado em contato, o que dificulta que delas emerja uma visão integrada (ou não) do século XIX. Daí o objetivo principal dessa chamada consistir em promover o diálogo entre pesquisadores ocupados com a renovação da compreensão daquele período. Trata-se, em outras palavras, de produzir interlocução entre perspectivas analíticas que pouco têm interagido diretamente, para daí articular uma perspectiva ampla e necessariamente compósita, da produção literária desse período histórico. Por consequência, são sugeridas contribuições sobre obras marginais ao cânone instituído desde então, sobre a história do livro e da leitura, compreendendo a circulação social da literatura daquele período, sobre os pressupostos paradigmáticos (epistemológicos) que têm orientado a pesquisa recente, em suma, sobre as perspectivas para a pesquisa futura no campo.

 

Data-limite para submissão: 7 de setembro de 2019

 
Publicado: 2019-08-31
 
Outras notícias...

v. 98 (2018): As muitas coisas de Clarice Lispector

Edição completa

Ver ou baixar a edição completa PDF

Sumário

Alexandre Nodari, João Camillo Penna
PDF
Eduardo Viveiros de Castro
PDF
João Camillo Penna
PDF
Marília Librandi
PDF
Alexandre Nodari
PDF
Flavia Trocoli Xavier da Silva
PDF
ALEX KEINE DE ALMEIDA SEBASTIÃO
PDF
Luciana Namorato
PDF
Leticia Pilger da Silva
PDF
Amanda Kristensen Kristensen de Camargo, Márcia Sipavicius Seide
PDF
Daniele Fernanda Eckstein
PDF
Pamela Zacharias
PDF
José Gaston Platzeck
Mateus Toledo Gonçalves
PDF
Fernanda Ribeiro Marra
PDF
José Miguel Wisnik
PDF