Características produtivas e socioambientais da agricultura familiar no Semiárido brasileiro: evidências a partir do Censo Agropecuário de 2017

Roberto Marinho Alves da Silva, Joacir Rufino de Aquino, Fernando Bastos Costa, Emanoel Márcio Nunes

Resumo


O objetivo deste artigo é compreender as práticas agropecuárias e extrativistas que são desenvolvidas pela agricultura familiar para viabilizar atividades produtivas e de reprodução das suas condições de vida no Semiárido brasileiro. Para tanto, foram realizadas a sistematização e a análise de dados do Censo Agropecuário 2017 do IBGE para identificar características sociais, produtivas e ambientais nos estabelecimentos de agricultura familiar no território semiárido. Verifica-se que, apesar das potencialidades desse modelo de agricultura, suas fragilidades e carências expressam heranças históricas estruturais que pressionam para a intensificação do uso dos recursos naturais aos quais têm acesso. Dessa forma, permanecem grandes desafios para uma transição agroecológica nos estabelecimentos de agricultura familiar, o que exige mudanças estruturais nas políticas públicas de desenvolvimento regional.


Palavras-chave


agricultura familiar; Censo Agropecuário 2017; Semiárido brasileiro

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v55i0.73745

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109

Flag Counter   

 Licença Creative Commons
Desenvolvimento e Meio Ambiente de https://revistas.ufpr.br/made está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.ufpr.br/made/about.