REMUNERAÇÃO DOS AUDITORES PERANTE A AGRESSIVIDADE TRIBUTÁRIA E GOVERNANÇA CORPORATIVA NO BRASIL

Antonio Lopo Martinez, Rubem Cardoso Lessa, Arquimedes de Jesus Moraes

Resumo


Este estudo investiga a relação entre as praticas de tax avoidance e os honorários de auditoria. A literatura já relacionou vários fatores que determinam o valor dos honorários de auditoria, entre eles, destacam-se aqueles que mensuram possíveis riscos para a firma de auditoria. Nesta pesquisa investiga-se, no contexto de empresas brasileiras, o efeito da agressividade tributária na remuneração requerida pela firma de auditoria. Usando dados de remuneração dos auditores coletados no período de 2009 a 2011, bem como utilizando o Book-Tax diferences (diferenças entre o lucro contábil e o lucro tributário), como proxy empírica para Agressividade tributária, foi possível constatar que as praticas de tax avoidance estão positivamente relacionados aos honorários de auditoria, i.e., empresas mais agressivas em termos tributários, tendem a ser penalizadas com uma maior remuneração dos auditores.  Porém na análise contextualizada, constatou-se que a adoção de boas práticas de governança corporativa minimiza essa relação, atenuando os efeitos incrementais sobre a remuneração dos auditores. Esta pesquisa evidencia a percepção de risco do auditor independente, e como isso se reflete em sua remuneração. Temas conexos, tais como planejamento tributário, auditoria independente e governança corporativa, são analisados, na identificação de interações não usualmente percebidas pelo mercado. 


Palavras-chave


Honorários de auditoria; tax avoidance; risco de auditoria; governança corporativa.

Texto completo:

| PDF 8 - 18 |


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rcc.v6i3.34593

Revista Contabilidade e Controladoria [RC&C] - ISSN 1984-6266
Avenida Prefeito Lothário Meissner, 632 - Campus III
CEP 80210-070, Curitiba, PR, Brasil