Um Estudo sobre o Processo de Institucionalização das Atividades da Auditoria Interna no Setor Público: A Percepção dos Auditores das Instituições Federais de Educação da Região Nordeste

Márcio Mateus Ferreira de Aquino, Sheila Miriam Barbosa Israel, Mário de Carvalho Filho, Givanildo Pereira de Souza, Gesualdo Menezes Cavalcante

Resumo


A teoria institucional versa sobre a incorporação de práticas e procedimentos que levam uma organização a se tornar estruturada, sendo legitimada por ações que são reconhecidas pela sociedade atuante, podendo tais práticas e procedimentos se tornar isomórficas dentre as organizações pertencentes ao meio. O objetivo desta pesquisa foi: identificar os principais aspectos no processo de institucionalização da atividade da auditoria interna nas instituições federais de educação na região nordeste. Tipificada como uma pesquisa exploratória-descritiva, os procedimentos metodológicos foram aplicados através de levantamento survey. A amostra classificada como não probabilística intencional, foi composta por 63 respondentes entre chefes e auditores dos departamentos de auditoria interna nos Institutos Federais e Universidades Federais da região nordeste. O tratamento dos dados se deu através de estatística descritiva e inferencial, utilizando-se dos testes de Mann Whitney e Kruskal Wallis. Os resultados além de traçar o perfil predominante dos respondentes (variáveis X), analisou a percepção dos auditores quanto aos aspectos de institucionalização da auditoria interna no ambiente público, através de escala likert, ranking médio (RM) e desvio padrão (DP), aonde foram expostas aos respondentes 10 assertivas correspondentes ao processo de institucionalização, utilizando-se de uma gradação de 1 (discordo totalmente) a 5 (concordo totalmente). O RM geral foi de 2,98 apontando imparcialidade dos respondentes quanto aos aspectos do processo de institucionalização da atividade de auditoria interna. De forma individual houve assertivas que obtiveram como maior RM os índices de 4,66, 4,63 e 4,36 o que demonstra que há aspectos que são vistos como importantes no processo de institucionalização. Os menores RM foram 1,29, 1,56 e 1,73, demonstrando os aspectos de menor importância. Estas assertivas foram utilizadas como variáveis dependentes (Y) e analisadas sobre as variáveis independentes (X). Os testes não paramétricos, tendo estabelecido um p-value < 0,05, demonstram um baixo índice de significância estatística entre as variáveis analisadas.


Palavras-chave


Auditoria Interna; Auditores Públicos; Processo de Institucionalização

Texto completo:

PDF |122-142|


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rcc.v10i3.60893

Revista Contabilidade e Controladoria [RC&C] - ISSN 1984-6266
Avenida Prefeito Lothário Meissner, 632 - Campus III
CEP 80210-070, Curitiba, PR, Brasil