A PRÁTICA DA LONGITUDINALIDADE NO ATENDIMENTO À SAÚDE DA CRIANÇA: COMPARAÇÃO ENTRE MODELOS ASSISTENCIAIS DISTINTOS

Vanessa Comassetto Oliveira, Maria de La Ó Ramallo Veríssimo

Resumo


Avaliou-se a orientação dos serviços primários de saúde sob o foco da longitudinalidade, na atenção
à criança. Estudo transversal e abordagem quantitativa em unidades com Estratégia Saúde da Família e o modelo
tradicional nas Unidades Básicas de Saúde. Os dados levantados por entrevistas, entre junho e julho de 2012,
com famílias de crianças (n=482) foram analisados conforme o Primary Care Assesment Tool. Constatou-se que a
relação pessoal de longa duração entre os profissionais de saúde e os pacientes e familiares é fragilizada em ambos
os modelos de assistência. As Estratégia Saúde da Família obtiveram escore acima do valor de corte em dois de 11
itens do atributo longitudinalidade. As Unidades Básicas de Saúde tiveram todos os itens com escores abaixo do
valor. O princípio da longitudinalidade não se mostrou incorporado, a sua prática como princípio do Sistema Único
de Saúde ainda permanece como desafio em ambos os modelos assistenciais.


Palavras-chave


Atenção primária à saúde; Saúde da criança; Avaliação em saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v20i1.35233 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133