Etnoecologia e o campesinato no sudoeste paulista: práticas tradicionais e saber ambiental em perspectiva

Tiago Santi, Helbert Medeiros Prado

Resumo


O sudoeste do estado de São Paulo é fortemente marcado por seus produtores rurais de base familiar, com sua economia, história e cultura tradicional singulares. Este artigo traz pela primeira vez, que é do nosso conhecimento, um registro etnoecológico sobre práticas produtivas tradicionais e conhecimento ambiental entre produtores rurais dessa região. Entrevistas informais e semiestruturadas foram aplicadas, além da realização de caminhadas guiadas. Nove famílias, nos municípios de Angatuba, Buri e Campina do Monte Alegre, participaram da pesquisa, totalizando 22 pessoas, entre homens e mulheres, de 27 a 81 anos de idade. Um extenso conjunto de práticas e conhecimentos locais sobre solo, vegetação, clima e agricultura foi registrado. O repertório local registrado é discutido a partir da vivência ambiental dos indivíduos em seu cotidiano, à luz de outros repertórios já registrados no Brasil, bem como na sua interface com o conhecimento científico formal. As informações aqui apresentadas podem contribuir para projetos de extensão junto aos produtores familiares da região.


Palavras-chave


agricultura familiar; epistemologia ambiental; conhecimento tradicional; etnoclimatologia; etnopedologia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v59i0.77173

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109

Flag Counter

 
A partir de 2023, Desenvolvimento e Meio Ambiente de https://revistas.ufpr.br/made está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. CC BY 4.0
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.ufpr.br/made/about.