Plantas alimentícias e paisagens: uso e conservação no Sertão do Ubatumirim, Ubatuba, Brasil

Gabriela Silva Santa Rosa Macedo, Lin Chau Ming

Resumo


O manejo de plantas alimentícias por populações tradicionais é crucial para a conservação da biodiversidade, especialmente em áreas consideradas “hotspots”, onde a biota única possui alto grau de endemismo. Discutimos aqui como, entre os fatores que contribuíram consideravelmente para a configuração da paisagem socioecológica (entre os anos de 1966 e 2011), a existência de áreas protegidas (Núcleo Picinguaba/Parque Estadual da Serra do Mar e do Parque Nacional da Bocaina) e a dinâmica de manejo para atividade agrícola da comunidade caiçara residente (caracterizada pela diversidade e pelo potencial de conservação de espécies de plantas por meio do uso contínuo) tiveram importância considerável. Partimos do pressuposto de que o uso continuado e in situ das plantas alimentícias seriam fatores-chave para a conservação da biodiversidade (alfa) de espécies arbóreas, apontando outros condutores atuantes no sistema socioecológico analisado nesta pesquisa. Os dados foram obtidos por meio da observação participante, questionários e entrevistas. Utilizamos o geoprocessamento a fim de correlacionar critérios êmicos de distinção da paisagem com aspectos fitossociológicos, de cobertura florestal e de diversidade. Todos esses fatores indicaram que esses agricultores deveriam ocupar posições importantes de participação para tomadas de decisões ligadas à conservação da biodiversidade nessas unidades de conservação.


Palavras-chave


caiçara; áreas protegidas; manejo plantas alimentícias; cobertura florestal

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v52i0.64697



Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109

Flag Counter   

 Licença Creative Commons
Desenvolvimento e Meio Ambiente de https://revistas.ufpr.br/made está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.ufpr.br/made/about.