Indicadores de Bem Viver: pela valorização de identidades culturais

Liliane Cristine Schlemer Alcântara, Carlos Alberto Cioce Sampaio

Resumo


Atualmente, nos mais distintos contextos socioeconômico e ambiental, são privilegiados os indicadores de bem-estar e de qualidade de vida, baseados em informações qualitativas e quantitativas sob a dimensão espaço-tempo. O objetivo deste artigo é apresentar uma proposta, no âmbito teórico-metodológico, de um sistema de indicadores de Bem Viver relacionado ao bem-estar subjetivo, superando os limites da mera quantificação econômica. A metodologia é bibliográfica com descrição narrativa. Sob os pontos de vista teórico e contextual, consiste de análise de referências da literatura, com interpretação e análise crítica. Apesar de o conceito estar em processo de construção, requerendo avanço no que se refere à conceptualização e operacionalização, propõe-se uma matriz de indicadores que sugerem utilidade para a medição das dimensões do Bem Viver, e que buscam uma complementaridade entre aspectos subjetivos, objetivos e intersubjetividade.


Palavras-chave


indicadores; bem viver; bem-estar; qualidade de vida; intersubjetividade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v53i0.62963

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109

Flag Counter

 
A partir de 2023, Desenvolvimento e Meio Ambiente de https://revistas.ufpr.br/made está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. CC BY 4.0
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.ufpr.br/made/about.