Open Journal Systems

Pescadores da Praia Grande, Paraty, RJ: aspectos da resiliência em seu sistema socioecológico

Fernanda Pereira de Mesquita Nora, Vinicius Figueiredo Nora, Mariana Clauzet, Milena Ramires, Alpina Begossi

Resumo


A resiliência, como propriedade de sistemas socioecológicos, está relacionada à capacidade que tais sistemas têm de se adaptar e lidar com perturbações. Este estudo examinou as características presentes em uma comunidade de pescadores artesanais por meio de alguns indicadores de resiliência (flexibilidade, capacidade de organização e capacidade de aprendizagem). O indicador flexibilidade representa a dependência econômica em relação ao recurso natural; o indicador capacidade de organização informa a respeito da participação em tomadas de decisão e em organizações comunitárias; e o indicador capacidade de aprendizagem refere-se à percepção das alterações ambientais em função da atividade humana. De forma conjunta, esses indicadores podem informar sobre a capacidade adaptativa da comunidade e sua relação com a gestão do recurso. Para esta investigação, entrevistas semiestruturadas foram realizadas nos meses de janeiro, abril, julho e agosto de 2012 na comunidade da Praia Grande e entorno (Paraty/RJ) (n = 22). Quanto ao indicador flexibilidade, 59,1% dos pescadores entrevistados têm outra forma de obtenção de renda, sendo o turismo a principal delas (36,4%). A maioria (77,2%) utiliza mais de uma tecnologia de pesca, o que pode tanto favorecer a diminuição da pressão sobre o recurso pesqueiro como ter efeito contrário, se for o caso do uso de tecnologias mais intensivas, como o arrasto. Acerca da capacidade de organização dos pescadores, foi identificada e discutida a baixa participação em relação às tomadas de decisão em relação à pesca, em especial pelo fato de a área de estudo estar situada em um contexto de conflitos socioambientais com unidades de conservação. Quanto à capacidade de aprendizagem, os resultados indicam que os pescadores percebem a atividade humana como agente responsável por alterações no ambiente natural e sugerem diferentes soluções diante do decréscimo de cada espécie-alvo. Por meio do uso dos indicadores de resiliência, foi possível identificar os atributos que permitem a adaptação da comunidade diante de distúrbios e que têm o potencial de diminuir a pressão sobre os recursos pesqueiros, assim como aqueles que possuem efeito contrário em relação a esses recursos.


Palavras-chave


pesca artesanal; resiliência socioecológica; indicadores de resiliência; Paraty

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v40i0.47307