A sustentabilidade dos financiamentos do PRONAF para a agricultura familiar

Tamissa Gabrielle Godoi, Fábio Luiz Búrigo, Ademir Antonio Cazella

Resumo


O trabalho analisa de que maneira a questão da sustentabilidade se reflete na formulação e na incorporação das políticas públicas de crédito rural no Brasil. A pesquisa utilizou uma abordagem qualitativa para compreender o sentido que os atores sociais dão à ideia da sustentabilidade, como interpretam suas próprias experiências e encaram as situações conflituosas geradas em torno do tema. O enfoque teórico-metodológico baseou-se na abordagem neo-institucionalista denominada “três is” e toma como fundamentação empírica o funcionamento das políticas de crédito rural presentes no Território do Meio Oeste Contestado (SC), com destaque para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Percebe-se que a incorporação da sustentabilidade já integra as orientações gerais do Pronaf, mas que esse avanço conceitual quase não se traduz em resultados práticos significativos junto aos estabelecimentos dos agricultores familiares e suas organizações sociais e econômicas. Tais constatações indicam que ainda há um longo caminho a se trilhar para que a ideia da sustentabilidade seja plenamente incorporada no Pronaf, reorientando suas normas operacionais e as condutas dos atores rumo ao desenvolvimento sustentável.


Palavras-chave


Pronaf; desenvolvimento sustentável; políticas públicas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v38i0.42657



Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109

Flag Counter

 
A partir de 2023, Desenvolvimento e Meio Ambiente de https://revistas.ufpr.br/made está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional. CC BY 4.0
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.ufpr.br/made/about.