Zonas de amortecimento de Unidades de Conservação em ambientes urbanos sob a ótica territorial: reflexões, demandas e desafios

Helio Beiroz

Resumo


O presente artigo aborda as demandas e desafios relacionados às zonas de amortecimento de Unidades de Conservação em áreas urbanas, por meio da contextualização histórica e legal desta “ferramenta” de planejamento e gestão territorial.  Foca-se sobre uma abordagem territorial de tais Zonas, tratando questões e desafios pertinentes a quaisquer unidades em áreas urbanas e aqueles específicos dos dois “Parques Urbanos” do município do Rio de Janeiro, o Parque Estadual da Pedra Branca e o Parque Nacional da Tijuca, a título de aprofundamento. Conclui-se que tais Zonas são importantíssimas para Parques envoltos por áreas urbanas, mesmo que a interação de atores e interesses, e seus consequentes reflexos territoriais, ocorram de maneira muito complexa. De fato, tal cenário reforça a necessidade dessa ferramenta como um instrumento de gestão e planejamento territorial, mitigação de conflitos e de conservação ambiental.


Palavras-chave


Unidades de Conservação; zonas de amortecimento; gestão territorial; planejamento territorial

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v35i0.38253



Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109

Flag Counter   

 Licença Creative Commons
Desenvolvimento e Meio Ambiente de https://revistas.ufpr.br/made está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.ufpr.br/made/about.