Ecologia política: onde estão os conteúdos da política?

Peter A. Walker

Resumo


O envolvimento limitado da ecologia política com a pesquisa social e ambiental mais ampla, com o discurso e com os conteúdos da política pode refletir, em parte, a fraqueza geral do envolvimento público por parte da disciplina da geografia como um todo (MURPHY, 2005). No entanto, como um campo de estudos que emergiu em grande medida das críticas aos conteúdos das políticas e deve uma grande parte de sua genealogia intelectual aos campos de estudos aplicados, tais como os estudos sobre riscos (WATTS; PEET, 2004, p. 8), a ambivalência em relação aos conteúdos da política entre muitos ecologistas políticos parece-nos intrigante. Como podemos entender esta aparente ambivalência? Como podemos explicar esta indiferença ou hostilidade em relação à ecologia política por parte de alguns formuladores de políticas? Estas são questões que este artigo examina. É possível que o leitor fique desapontado com o fato de este artigo não fornecer respostas concretas; mas, depois de 20 anos de uma relação incerta e às vezes tensa entre a ecologia política e os conteúdos das políticas, estas questões merecem uma discussão mais aprofundada.


Palavras-chave


ecologia política; política ambiental; política.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v24i0.21699



Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109

Flag Counter   

 Licença Creative Commons
Desenvolvimento e Meio Ambiente de https://revistas.ufpr.br/made está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.ufpr.br/made/about.