CUIDADOS PALIATIVOS E COMUNICAÇÃO: UMA REFLEXÃO À LUZ DA TEORIA DO FINAL DE VIDA PACÍFICO

Cristiani Garrido de Andrade, Isabelle Cristinne Pinto Costa, Patrícia Serpa de Souza Batista, Adriana Marques Pereira de Melo Alves, Brunna Hellen Saraiva Costa, Melissa Santos Nassif, Solange Fátima Geraldo da Costa

Resumo


Objetivo: analisar a contribuição do cuidado de enfermagem, com ênfase na comunicação, para o paciente sob cuidados paliativos na fase terminal e seus familiares. Método: estudo qualitativo, realizado em um Hospital Filantrópico da cidade de João Pessoa-PB, Brasil, em 2019, desenvolvido com 15 familiares de pacientes em cuidados paliativos, por meio de entrevistas semiestruturadas. Os dados foram submetidos à análise de conteúdo, proposta por Bardin, à luz da Teoria do Final de Vida Pacífico.  Resultados: emergiram duas categorias: ‘A comunicação dos profissionais de enfermagem como estratégia para promover conforto, paz, dignidade e respeito para pacientes e familiares em cuidados paliativos’; ‘A presença e o diálogo de pessoas importantes para o paciente sob cuidados paliativos são fundamentais para um final de vida pacífico.’ Conclusão: espera-se que, através desse estudo, seja possível aprimorar a assistência à família acerca da comunicação nos cuidados paliativos.


Palavras-chave


Cuidados paliativos; Comunicação; Família; Teoria de enfermagem; Enfermagem.



DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v27i0.80917 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133