DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM DE PACIENTES PÓS-TRANSPLANTADOS HEPÁTICOS EM ACOMPANHAMENTO AMBULATORIAL

Natália de Souza Pires Oliveira, Thaís Moreira Oliveira, Allana dos Reis Corrêa, Sabrina Daros Tiensoli, Priscila Lara Vieira Bonisson, Gilberto de Lima Guimarães, Bruna Figueiredo Manzo

Resumo


Objetivo: identificar os diagnósticos de enfermagem de pacientes pós-transplantados hepáticos em acompanhamento ambulatorial.
Método: estudo descritivo realizado entre janeiro e maio de 2015 que avaliou 153 consultas em um ambulatório de Belo Horizonte, Minas Gerais. A elaboração dos diagnósticos de enfermagem seguiu a proposta de Risner, uniformizados seguindo o indicado pelo NANDA-I 2015-2017. Os dados foram analisados pelo programa Statistical Package for Social Sciences.
Resultados: dos pacientes, 102 (66,7%) eram do sexo masculino com mediana de idade de 55 anos. A cirrose por vírus da hepatite C foi a principal indicação de transplante. Foram identificados 11 diagnósticos de enfermagem, sendo os de maior frequência: Risco de infecção, Proteção ineficaz, Risco de glicemia instável, Risco de função hepática prejudicada.
Conclusão: com os diagnósticos de enfermagem identificados, é possível delimitar o perfil das necessidades desses pacientes e proporcionar assistência de enfermagem diferenciada no acompanhamento ambulatorial de pós-transplantados hepáticos.


Palavras-chave


Processo de enfermagem; Cuidados de Enfermagem; Diagnóstico de enfermagem; Enfermagem no consultório; Transplante de fígado.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v24i0.59149 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133