PROFISSIONAIS DE SAÚDE FALAM MAIS SOBRE CUIDADO E MENOS SOBRE HIV/AIDS

Cleuma Sueli Santos Suto, Sergio Corrêa Marques, Denize Cristina Oliveira, Jeane Freitas de Oliveira, Mirian Santos Paiva

Resumo


Objetivou-se apreender as representações sociais de profissionais de saúde sobre o HIV/aids e o cuidado a pessoa com HIV/aids comparando os índices de diversidade e de raridade. O artigo constitui um recorte de pesquisa desenvolvida com base na teoria das Representações Sociais (RS), com abordagem multimetodológica, em quatro unidades de serviço especializados em HIV/aids, da cidade de Salvador-Bahia, envolvendo 73 profissionais de saúde, mediante aplicação da técnica de associação livre de palavras processadas no software EVOC e cálculo de índices de centralidade. ‘Preconceito e morte’ constituem o núcleo central (NC) da RS de HIV/aids e ‘aconselhamento e acolhimento’ o NC de Cuidado. Os elementos estruturantes da RS da aids denotam a presença de juízos de valor e o cálculo dos índices de diversidade e raridade, revelou um menor compartilhamento das evocações sobre o objeto HIV/aids do que sobre o objeto Cuidado.


Palavras-chave


Cuidado; HIV; Profissionais de saúde

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i3.49981 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133