IMPACTO DAS FRAUDES CONTÁBEIS NO BANCO PANAMERICANO SOBRE A REPUTAÇÃO DA DELOITTE

Paulo Frederico Homero Jr.

Resumo


A literatura aponta dois incentivos básicos para a qualidade dos serviços de auditoria: os riscos de litígio e os riscos de reputação associados à falta de qualidade nestes serviços. Este artigo tenta identificar se houve danos à reputação da Deloitte em decorrência do anúncio de fraudes contábeis no Banco Panamericano, avaliando as reações do mercado de capitais brasileiro a este evento. Para tanto, duas estratégias foram adotadas: estudo de eventos e teste de Chow. A amostra analisada foi composta pelas ações do índice Ibovespa em 09/11/2010, data do anúncio das fraudes no Banco Panamericano. Os testes estatísticos não deram suporte às hipóteses de que as ações de companhias auditadas pela Deloitte tiveram retornos anormais negativos nem retornos anormaismenores do que as de companhias auditadas por outras firmas durante o período próximo a esta data, e tampouco à hipótesede que ocorreramrompimentos nas tendências dos retornos das ações de companhias auditadas pela Deloitte em maior proporção do que os ocorridos com ações de companhias auditadas por outras firmas. Estes resultados contrariam os verificados em contextos semelhantes em outros países, e parecem indicar que os auditores brasileiros não enfrentam riscos de reputação significativos. Dado que os riscos de litígio enfrentados por estes profissionais no país também são baixos, os resultados apontam uma falta de incentivos à qualidade das auditorias no Brasil.


Palavras-chave


Auditoria; Risco de reputação; Estudo de eventos; Teste de Chow

Texto completo:

PDF | 40-53 |


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rcc.v6i2.33961

Revista Contabilidade e Controladoria [RC&C] - ISSN 1984-6266
Avenida Prefeito Lothário Meissner, 632 - Campus III
CEP 80210-070, Curitiba, PR, Brasil