Correção de erros gramaticais orais na sala de aula de inglês-LE: Um estudo da prática e das crenças de uma professora

Marcia Regina Pawlas Carazzai, Francieli Santin

Resumo


Este artigo reporta os resultados de um estudo etnográfico que
investigou a relação entre a correção de erros gramaticais orais
em uma sala de aula de inglês como língua estrangeira e as
crenças da professora observada sobre esta prática. Os dados
coletados incluem observação das aulas da professora por cerca
de 13 horas, notas de campo, um questionário aberto e uma
entrevista com a professora. Os resultados indicam que a
professora corrigia os erros gramaticais orais produzidos por
seus alunos e que os tipos de estratégias de correção mais
utilizados foram a correção explícita e a correção através de
sinais metalinguísticos. A professora demonstrou-se preocupada
tanto com a fluência de seus alunos como com a maneira com
que estes se comunicavam na língua estrangeira, ocorrendo a
correção sempre que estes objetivos não eram atingidos sob o
ponto de vista da professora.


Palavras-chave


Correção de Erros; Crenças; Prática.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v73i0.7914

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.