Open Journal Systems

“Bárbara aprendeu a voar”: desconstrução do racismo estrutural e resistência étnica na autoria contista de Cristiane Sobral

Adriana Delmira Mendes-Polato, Wilma dos Santos Coqueiro

Resumo


O artigo apresenta uma análise de como a autoria feminina negra de Cristine Sobral se manifesta no conto “O tapete voador” (2016), a partir de um agir responsivo ético militante e de desconstrução ao racismo estrutural e de outros valores adjacentes, como o machismo, pela tematização da resistência étnica. Trata-se de pesquisa qualitativa e interpretativa que coaduna referenciais teóricos dos estudos culturais e do dialogismo do círculo de Bakhtin, a partir dos quais se enfatizam aspectos sócio-históricos, culturais e ideológicos inerentes à vida do discurso literário, a formar uma rede de valores manifestados por meio do tom emotivo-volitivo autoral manifestado no gênero conto, com ênfase às entonações conferidas às vozes das personagens. Outras configurações como as cronotópicas, também são analisadas do ponto de vista valorativo da decisão autoral orientada ao acabamento estético do todo da obra, para sua atuação discursiva singularizada. Os resultados apontam à importância do papel social da autoria feminina negra na criação artístico-literária, para afirmação da resistência étnica, para a prospecção de rupturas e delineamento de novas propostas de relações sociais, assentadas em valores combativos às assimetrias verticais que colocam grupos em relação de desvantagem a outros na organização social da vida.

Palavras-chave


Estudos culturais; Dialogismo; Autoria feminina negra.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v107i1.77244