Literatura sem texto: presença social da literatura no Brasil oitocentista

Márcia Abreu

Resumo


No século XIX, a presença social da literatura era muito mais vasta do que supõe quem lê manuais de história literária. Periódicos oitocentistas revelam variadas formas de contato com a literatura, que prescindiam da intermediação do texto escrito, tais como a nomeação de pessoas, animais, objetos e lugares; a referência a personagens, títulos e escritores para designar produtos diversos; o interesse pela vida privada de escritores, concebidos como celebridades. Este texto pretende apresentar essas formas de presença social da literatura a fim de questionar dois pilares da história literária tradicional: a compartimentação nacional e a atenção exclusiva aos textos. Espera-se, também, discutir a dimensão mercadológica da literatura, aspecto, em geral, ausente dos manuais de história da literatura.

Palavras-chave


século XIX; mercadorias derivadas de obras literárias; celebridade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v100i0.68866

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.