Metafísica e metamorfose n'A paixão segundo G.H.

Mateus Toledo Gonçalves

Resumo


O interesse desse artigo será o de situar uma série de aspectos da linguagem d’A paixão segundo G.H em relação à questão da “coisa”. Partirei da afinidade entre a problemática da metafísica em Kant e a da procura da coisa na obra de Clarice Lispector. A caracterização da escrita de Clarice como tendo uma preocupação de ordem metafísica, irei sugerir, pressupõe essa afinidade. No entanto, ela também se afasta decisivamente, como se verá. No romance A paixão segundo G.H em particular um ponto central de interesse é a conexão feita ali entre a questão da “coisa” com a da metamorfose. Por fim, dado esse percurso do artigo, iremos propor uma visão alternativa para uma observação muito comum na literatura crítica sobre Clarice Lispector: a de que seus romances seriam “desarticulados”.


Palavras-chave


A paixão segundo G.H; metamorfose; metafísica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v98i0.61567

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.