OS MITOS DE ONTEM E AS FALÁCIAS DE HOJE: EMILY DICKINSON E A POESIA SENTIMENTAL

José Lira

Resumo


Este trabalho trata de certos mitos e falácias em relação à vida
e obra de Emily Dickinson (1830-1886) que ainda vigoram
nos círculos literários, com especial atenção para a inclusão da
autora numa suposta Escola de Poesia Sentimentalista
Feminina.

Palavras-chave


crítica literária; poesia; Emily Dickinson; literary criticism; poetry; Emily Dickinson

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v68i0.6136

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.