A TRAGÉDIA GREGA NA VISÃO DE FRIEDRICH NIETZSCHE

Adilson dos Santos

Resumo


Este estudo tem por objetivo apresentar algumas considerações
acerca da tragédia grega na visão de Friedrich Nietzsche. Em O
nascimento da tragédia, seu primeiro livro, o filósofo alemão
pensa a tragédia grega assim como a arte, de um modo geral
como sendo o produto da união de duas tendências artísticas
antitéticas, mas complementares entre si: o apolíneo (forma) e
o dionisíaco (embriaguez). Trata-se de uma leitura voltada
para a raiz exclusivamente religiosa da tragédia. Em sua
abordagem, Nietzsche fixa o seu olhar na feição arcaica do
teatro grego e vê a origem da tragédia no coro ditirâmbico, o
qual considera como a imagem refletida do homem dionisíaco.
Para ele, a tragédia grega é a manifestação do dionisismo, ou seja, da aceitação plena e entusiasta da vida tal qual ela se
apresenta; da quebra de todas as barreiras que envolvem os
homens; de sua reintegração com a natureza e seu retorno a
uma espécie de Idade de Ouro, em muito parecida com aquela
ilustrada na peça As bacantes, de Eurípides.

Palavras-chave


Tragédia grega; apolíneo; dionisíaco; Greek tragedy; apollonian; dionysian

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v68i0.6135

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.