GANDAVO & PLINIO, O VELHO: UMA CONSTRUÇÃO RETÓRICA DOS MIRABILIS

Alexandre Jose Barboza Costa

Resumo


Resumo: O presente texto tem por finalidade mostrar que Pero de Magalhães de Gandavo, autor de “História da Província de Santa Cruz” emula – emulatio - Plínio, o velho, autor de “História Natural” para a feitura de suas écfrases – descrições – dos bestiários proporcionando, desse modo, ao seu destinatário uma visão quinhentista, eurocêntrica e contrarreformada da tópica dos “mirabilis”, ou seja, do” fantástico”, “admirável” e” maravilhoso” naquele que foi considerado o primeiro tratado histórico sobre o Brasil escrito provavelmente entre 1573 e 1576 denominado” História da província de Sancta Cruz a que vulgarmente chamamos de Brasil”.  Tomamos Plínio, o Velho como autoridades (auctoritas) para o texto de Gandavo, pois, no século XVI os tratados de descrição da fauna e da flora tinham no autor de História Natural a auctoritas mais recorrente. Defendemos a hipótese que o tratado de Gandavo, dentre todos os autores luso-brasileiros do período é o que mais se aproxima de o autor de História Natural de Plínio, o velho.


Palavras-chave


Retorica; letras luso-brasileiras; literatura

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v97i0.59286

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.