PRIMEIRAS IMPRESSÕES: PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE ROMANCES NO INÍCIO DO SÉCULO XIX

Simone Cristina Mendonça de Souza

Resumo


O que os leitores que viviam no Brasil no início do século XIX
poderiam ler? Antes de 1808, poderiam apenas ler os livros
importados da Europa, porém, com a inauguração da Impressão
Régia, os luso-brasileiros puderam também adquirir livros
impressos no Rio de Janeiro. Seguindo a tendência da
importação de romances, em voga desde o século XVIII, os
livreiros cariocas começaram a ofertar, nos jornais da época,
romances produzidos na Impressão Régia. A partir do encontro
e leitura desses romances, comentamos a materialidade com a
qual eles foram impressos, com uma qualidade baixa, seus
preços e o fato de terem sofrido alterações editoriais. Esses
aspectos podem apontar um tipo de público e ainda influenciar
diferentes processos de compreensão. Além disso, adentrando
os textos, procuramos entender que tipos de narrativas são
apresentadas. Entre os assuntos abordados nas publicações da
Impressão Régia, consideramos aqui romances, narrativas de
viagens e contos (i)morais.

Palavras-chave


Prosa de ficção; história editorial; século XIX; Fiction narratives; editorial history; eighteenth century

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v67i0.5527

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.