LINGUAGEM, HISTÓRIA, FICÇÃO E OUTROS LABIRINTOS EM O MEZ DA GRIPPE DE VALÊNCIO XAVIER

Evanir Pavloski

Resumo


O objetivo desse artigo é apresentar uma discussão sobre a
novela O Mez da grippe, escrita por Valêncio Xavier, em relação
com as cinco dimensões do processo de leitura descritas por
Vincent Jouve em seu livro intitulado A Leitura. Ao longo do
trabalho pretendemos analisar o modo pelo qual Xavier
organiza os seu múltiplos elementos textuais e visuais com o
intuito não apenas de manter a atenção e o interesse de seu
público, mas também de provocar diferentes reações do leitor
em sua atitude para com o texto e a realidade. Objetivamos
mostrar que o diálogo estabelecido entre indivíduo, texto e
contexto enfatiza o papel do leitor na construção da própria
obra e desafia nossas certezas em relação aos nossos próprios
conceitos de história, fato e ficção.

Palavras-chave


Literatura brasileira; O Mez da grippe; Literatura e História; Brazilian literature; O Mez da grippe; Literature and History

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v66i0.5101

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.