A presença da ironia na ficção naturalista

Raquel Lima Silva

Resumo


Após apresentar algumas das propostas naturalistas expostas por Zola em artigos que o romancista publicou em jornais franceses, como Le Journal Populaire de Lille e Le Messager de l’Europe, refletiremos sobre a presença da ironia na ficção naturalista.  Veremos que, por mais paradoxal que seja, a ironia naturalista, segundo Voisin-Fougère (2001), é resultado de uma estratégia narrativa que, uma vez focalizada em terceira pessoa e defensora da “verdade” na arte, buscou promover a suposta neutralidade discursiva, tão desejada, como sabemos, pelo mestre francês.

Palavras-chave


Naturalismo; Ironia; Ambiguidade semântica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v82i0.25086

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.