A PSICOLINGUÍSTICA E O ENSINO DE LÍNGUAS

MARIA DAS DORES WOUK

Resumo


A Psicolingüístíca, como a Lingüística Aplicada, feve seu desenvolvimento sobretudo depois da 2.a guerra mundial, quando aumentou o interesse em forno da aprendizagem das ¡ínguas estrangeiras. Ela recebe a ajuda de outras disciplinas, no'tadamente da Psicologia e da Neurofisnogia. Esta já desenvolveu numerosas pesquìsas sobre o modo de realização da percepção humana em geral e da percepção lingüística, em particular, na criança em relação à língua materna e no indivíduo que aprende uma língua estrangeira.
Eía coloca os problemas e procura explicar o funcionamento do cérebro em ambas as situações, que são. aliás, bem diferentes. Os estudos e experiências realizados provam que a perccpção lingüística é de natureza estruturoglobal e se faz por saltos, mais cu menos rápidos, de acordo com certas condições.
A contribuição da Psicolinguistica já é bastante valiosa para a pedagogia e a metodologia tanto da língua materna, ccmo de uma segunda ou terceira língua. Está provado que a inobservância dos principies que e!a propõe pede prejudicar a aquisição e a assimilação de uma língua que possui estrutura diferente e, muitas vezes contraditória à da língua primeira.Em forma de conclusão, a autora insiste na necessidade de se observarem algumas rendas gerais no ensino de línguas, as quais são o fruto das experiências desenvolvidas pelos psicolingüísfas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v23i0.19662

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.