LINGUAGEM E REALIDADE: UMA ANÁLISE DO CRÁTILO DE PLATÃO

Jorge Ferro Piqué

Resumo


O artigo procura explicitar o uso paródico que Platão faz do método etimológico de Crátilo. Como conseqüência, a posição platônica não se resume a uma simples negação aporística das teses naturalista e convencionalista, mas sim que ambas revelam aspectos essenciais da linguagem humana, aspectos estes que tomam possível o conhecimento e a enunciação da verdade.

Palavras-chave


Platão; filosofia da linguagem; história da Lingüística

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v46i0.19050

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.