Open Journal Systems

UMA ESTÉTICA MAQUÍNICA

Rafael Andrés Villari

Resumo


O trabalho pretende alinhavar questões, no nosso entender polêmicas, na teorização da produção hipertextual - neste caso limitada à Literatura Gerada por Computador: L.G.C. O questionamento aponta ao valor atribuído às possibilidades do
computador no processo criativo na literatura. Utilizamos, para isto, a narrativa de Jorge Luis Borges numa tentativa de diálogo e contraste com a proposta da L.G.C.

Palavras-chave


hipertexto; estética; poesia; Jorge Luis Borges

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v53i0.18864