OS OUTROS: CRIAÇÕES DE JOYCE CAROL OATES E ALEJANDRO AMENÁBAR SOB A REGÊNCIA DE HENRY JAMES

Brunilda Tempel Reichmann

Resumo


Este trabalho tece comentários sobre o estranhamento no conto “Os outros”, de Joyce Carol Oates, e no filme Os outros, de Alejandro Amenábar, sob a égide de Henry James. Com um controle total sobre as narrativas, tanto Oates como Amenábar constroem universos ficcionais surpreendentes. A narrativa de Oates tem como fio condutor quatro momentos da vida do protagonista; a narrativa de Amenábar estabelece um diálogo implícito com o texto de Oates e um diálogo explícito com o filme The Innnocents, baseado na novela The Turn of the Screw, de Henry James. O filme Os outros apresenta um final surpreendentemente chocante, no qual o espectador vê-se diante de uma situação inusitada que o faz retornar mentalmente ao início do filme e refazer a trajetória narrativa. A pergunta que paira é: “Afinal, quem são ‘os outros’”? Para respondermos a essa pergunta, utilizaremos alguns aspectos de teoria sobre o fantástico de Tzvetan Todorov e de Felipe Furtado. Ambas as narrativas subvertem a realidade empírica ao incluir elementos de um mundo sobrenatural. Amenábar potencializa essa subversão. O filme, assim como o conto, joga com nossa percepção da realidade e nosso relacionamento com um mundo que só pode ser apreendido pela imaginação ao suspendermos nossa descrença diante da inusitada “realidade” criada pela narrativas ficcional e fílmica.

Palavras-chave


Os outros; A subversão da realidade; O fantástico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v77i0.12396

Revista Letras - ISSN 0100-0888 (versão impressa) e 2236-0999 (versão eletrônica)

 

Licença Creative Commons
Revista Letras está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.