Open Journal Systems

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NO NÍVEL STRICTO SENSU: OS PRINCÍPIOS E ELEMENTOS DE UMA PROPOSTA

Dayse Kelly Barreiros de Oliveira, Ellen Michelle Barbosa de Moura

Resumo


O artigo objetiva estabelecer princípios e elementos básicos para constituir uma proposta de formação continuada no nível stricto sensu para professores da educação básica. A metodologia foi a revisão de literatura específica. Como considerações, o trabalho sinaliza uma proposta de formação, na perspectiva histórico crítica, que tem como princípios basilares a práxis e a pesquisa por meio dos elementos: professor como intelectual, articulação entre conhecimento universitário e escolar, sólida formação teórica-metodológica, trabalho docente e valorização docente. A proposta considera as múltiplas determinações e suas implicações na constituição dos sujeitos. Além da possibilidade de vivências ancoradas numa perspectiva emancipatória, em que as relações universidade e escola sejam horizontalizadas e éticas, podendo significar a garantia de processo formativo de intelectuais orgânicos.


Palavras-chave


Formação de professores; Formação continuada; Pós-graduação stricto sensu; Educação básica

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES-MAZZOTI, Alda Judith. Revisão da Bibliografia. In. ALVES MAZZOTI, Alda Judith, GEWANDSZNAJDER, Fernando. O método nas Ciências Naturais e Sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, pp. 179-188, 1998.

BARREIROS, Dayse Kelly. Os sentidos e significados da formação stricto sensu no trabalho docente da educação básica. 2013. 134 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

OLIVEIRA, Dayse Kelly Barreiros de. A formação stricto sensu como formação continuada na educação básica: contexto, pressupostos e possibilidades. 2019. 253 f., il. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

BRASIL.

CARVALHO, Mark Clark Assen de; DAMASCENO, Ednaceli Abreu; MOURA, Maria do Socorro Lima. Navegando em águas turvas no campo da política e da formação de professores. Revista Exitus, Santarém, v. 9, n. 3, pp. 169-196, jul. 2019.Disponível em . Acessos em 19 de fevereiro de 2022.

CURADO SILVA, Kátia Augusta Pinheiro. A (de) Formação de Professores na Base Nacional Comum Curricular. In: UCHOA, Antonio Marcos da Conceição; LIMA, Átila de Menezes; SENA, Ivânia Paula Freitas de Souza (orgs.). Diálogos Críticos, volume 2: reformas educacionais: avanço ou precarização da educação pública? [recurso eletrônico]. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2020, pp. 102-122. Disponível em: . Acesso em 06 de setembro de 2022.

CURADO SILVA, Kátia Augusta Pinheiro. Epistemologia da práxis na formação de professores: perspectiva crítico-emancipadora. Campinas, SP: Mercado das letras, 2018.

CURADO SILVA, Kátia Augusta Pinheiro. Professores com formação stricto sensu e o desenvolvimento da pesquisa na educação básica da rede pública de Goiânia: realidade, entraves e possibilidades'. 2008. 292 f. Tese (Doutorado em Educação) − Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008.

CURADO SILVA, Kátia Augusta Pinheiro. A formação contínua docente como questão epistemológica. In: XVIII ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO – ENDIPE, 18., 2016, Cuiabá, MT, Anais [...]. Cuiabá: UFMT, 2016. Simpósio Eixo 2.

FREITAS, Luiz Carlos de. Em direção a uma política para a formação de professores. Em Aberto, Brasília, ano 12, n. 54, abr./jun. 1992.

FREITAS, Luiz Carlos de. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educação e Sociedade, Campinas, v. 35, n. 129, pp. 1085-1114, out.-dez., 2014.

FREITAS, Luiz Carlos de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

FREITAS, Luiz Carlos de. ANFOPE: concepções predominantes nos anos iniciais e sua importância para a luta atual. 2019 Disponível em: . Acesso em 20 de agosto de 2022.

GADOTTI, Moacir. Pedagogia da Práxis. São Paulo: Instituto Paulo Freire/Cortez, 1995.

GATTI, Bernadete Angelina; NUNES, Marina Muniz Rossa. Formação de professores para o ensino fundamental: instituições formadoras e seus currículos; relatório de pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas; Fundação Vitor Civita, 2008.

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do Cárcere. 2. ed. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

KOERNER, Rosana Mara. Letramento no Trabalho e na Formação Docente: trajetórias e ações. Appris: Curitiba, 2018.

KUENZER, Acácia Zeneida; CALDAS, Andrea. Trabalho docente: comprometimento e desistência. In: OLIVEIRA, Maria Auxiliadora M.; FIDALGO, Nara Luciene R. (org.). A intensificação do trabalho docente: tecnologias e produtividade. Campinas, SP: Papirus, pp. 19-48. 2009.

LEHER, Roberto. Valorização do magistério. In: OLIVEIRA, Dalila Andrade; DUARTE, A.M.C.; VIEIRA, L.M.F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010. Disponível em: . Acesso em 31 de maio de 2022.

LUDKE, Menga. O professor, seu saber e sua pesquisa. Educação & Sociedade, ano XXII, n 74, Abril/2001. Disponível em . Acesso em 20 de agosto de 2022.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MARX, Karl. O Capital. V. I, tomo 1. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

MARX, Karl. O Capital. V.II. São Paulo: Nova Cultural Ltda., 1985.

MORAES, Maria Célia Marcondes de (org.). Iluminismo às avessas produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

OLIVEIRA, Dalila Andrade; DUARTE, Adriana Maria Concella; VIEIRA, Lívia Fraga. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010. Disponível em: . Acesso em 31 de maio de 2022.

OLIVEIRA, Dayse Kelly Barreiros de; MOURA, Ellen Michelle Barbosa de, LIMA, Fernanda Bartoly Gonçalves de. A formação Stricto Sensu de professores da educação básica e a autonomia no trabalho docente: relações possíveis. Educação Em Foco, v. 24, n. 42, pp. 300–317. Disponível em: . Acesso em: 12 de agosto de 2022.

RAMOS, Flávia Regina Oliveira. Políticas educacionais no Brasil: a formação inicial docente em debate. X ENFOPE. Disponível em: . Acesso: 25 de dezembro de 2022.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da Práxis. 1ª ed. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales; São Paulo: Expressão Popular, Brasil, 2007.

ZEICHNER, Kenneth. Tendências da pesquisa sobre formação de professores nos Estados Unidos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 4, n. 9, pp. 76-87, set./dez. 1998. Disponível em: . Acesso em:15 de julho de 2022.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v17i2.89889