n. 43 - A IDENTIDADE DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL NO BRASIL: ANÁLISE A PARTIR DO PROINFÂNCIA

Patrícia Maria Uchôa Simões, Marcela Pires Barbosa, Mariana Uchôa Simões Barbosa, Juceli Bengert Lima, Elaine Florencio Suane dos Santos

Resumo


No Brasil, o poder público municipal ainda é desafiado a oferecer o acesso ao atendimento educacional para todas as crianças pequenas com a ampliação de vagas, incorporando as dimensões do cuidado, saúde e alimentação. O presente artigo discute alguns estudos realizados sobre o Programa Nacional de Reestruturação e Aparelhagem da Rede Escolar de Educação Infantil (Proinfância), indicadores oficiais e alguns dados da implantação desse programa, no sentido de registrar essa experiência brasileira de inclusão de crianças pequenas no sistema educacional e diminuição das desigualdades históricas que marcaram a trajetória das políticas educacionais no Brasil. Além da crescente inclusão das crianças nessa etapa do ensino, as mudanças na legislação e nos documentos oficiais afirmam uma concepção de qualidade para a Educação Infantil que implica o respeito à criança como sujeito de direitos, portanto, direito a inclusão no sistema de ensino e a uma educação de qualidade. A análise dos dados de implantação do programa destaca a presença do Proinfância em todas as regiões do Brasil, em todos os estados e em mais de dois terços dos municípios. Como conclusão, o estudo aponta para a abrangência e o alcance do programa como fatores que revelam sua importância na constituição das políticas de Educação Infantil nas duas últimas décadas, no país.


Palavras-chave


Políticas educacionais; Educação Infantil; Proinfância

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOS, M. M. Entre as políticas de qualidade e a qualidade das práticas. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.43 n.148 p.22-43, Jan./Abr. 2013.

CAMPOS, M. M; BHERING, E. B.; ESPOSITO; Y.; GIMENES, N.; ABUCHAIM, B.; VALLE, R.; UNBEHAUM, S. A contribuição da educação infantil de qualidade e seus impactos no início do ensino fundamental. São Paulo, Educação e Pesquisa, v. 37, n.1, p. 15-37, Abr. 2011.

COSTA, S. C. Programa Proinfância: considerações sobre os efeitos nas Políticas Municipais de Educação Infantil, Tese (Doutorado em Educação, Conhecimento e Inclusão Social) - Faculdade de Educação, UFMG, Belo Horizonte, 2015.

CURY. R.J. A Educação Básica no Brasil. Educação & Sociedade, Campinas, vol.23, n.80, p. 168-200, Set. 2002.

DOURADO, L.F. Políticas e gestão da educação básica no Brasil: limites e perspectivas. Educação & Sociedade, Campinas, v.28, n.100, p. 921-946, Out. 2007.

ENDLICH, A. R. da F. G. Ambientes para a Educação Infantil: o Proinfância em Quatis. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, UERJ, Rio de Janeiro, 2017.

FLORES, M. L. R.; ALBUQUERQUE, S. S. de (org..). Implementação do Proinfância no Rio Grande do Sul: perspectivas políticas e pedagógicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015.

FLORES, M. L. R.; MELLO, D. T. de. Ampliação do acesso à educação infantil via Proinfância: análises de uma política pública em colaboração. Anais do III Congresso Iberoamericano de Política e Administração da Educação. Zaragoza, 2012.

GARCIA, W. S. de O. A. Políticas públicas para a educação infantil na cidade de Chapadão do Sul: estudo de caso do programa Proinfância. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, UEMS, Parnaíba, 2015.

KLOSINSKI, D. V. Uma Avaliação da Implementação do Programa Proinfância: a política dos espaços escolares. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Fronteira do Sul. Chapecó, 2016.

HADDAD, S. Os Bancos multilaterais e as políticas educacionais no Brasil. In: VIANNA JR., A. A estratégia dos bancos multilaterais para o Brasil. Brasília: Rede Brasil, 1998. p. 41-52.

IBGE. Pesquisa nacional por amostra de domicílios. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.

IBGE. Pesquisa de Informações Básicas Municipais, 2012.

MATTOS, C. da S. A Implementação do Proinfância em Juiz de Fora e seus Desdobramentos. Dissertação (Mestrado em Gestão e Avaliação da Política Pública) – UFJF, Juiz de Fora, 2014.

NUNES, M. F. R. Proinfância e as estratégias municipais de atendimento a crianças de 0 a 6 anos. (Relatório de Pesquisa). Rio de Janeiro: Programa de Pós-graduação em Educação-UNIRIO, 2015.

PARO, V.H. A educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.36, n.3, p. 763-778, Dez. 2010.

RAMOS, J.L.R.R. Implementação de Programas Federais e Descentralização de Políticas Públicas: um estudo de caso no contexto do PROINFÂNCIA. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Administração, UNB, 2011.

REZENDE, L.M. Monitoramento e avaliação do programa nacional de Reestruturação e aquisição de equipamentos para a rede escolar Pública de educação infantil – Proinfância: uma proposta Metodológica. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, UNB, Brasília, 2013.

ROSEMBERG, F. Estudos sociais sobre a Infância e Direitos da Criança. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.40, n.141, p. 689-691, Dez., 2010.

ROSSETTI-FERREIRA, M.C.; RAMON, F.; SILVA, A.P.S. Políticas de atendimento à criança pequena nos países em desenvolvimento. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 115: 65-100, Mar. 2002.

SANTOS, M. O. dos; RIBEIRO, M.I.S. Educação Infantil: os desafios estão postos e o que estamos fazendo? Salvador: Soffset Gráfica e Editora, 2014.

SIMÕES, P. M. U.; LINS, D. M. R. Implementação do Proinfância nos municípios de Pernambuco. In: SIMÕES, P. M. U.; LIMA, J. B. (Org.). Concepções e Práticas na Educação Infantil. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2015.

TAGGART, B., SYLVA, K., MELHUISH, E., SAMMONS, P., SIRAJ-BLATCHFORD, I. O poder da pré-escola: evidências de um estudo longitudinal na Inglaterra. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 142, p. 68-99, Jan./Abr. 2011.

VOSS, D. M. da S. Os movimentos de recontextualização da política Compromisso Todos pela Educação na gestão do Plano de Ações Articuladas (PAR) e seus efeitos: Um estudo de caso no município de Pinheiro Machado (RS). Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, UFPEL, Pelotas, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v15i0.80370

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Publicado pelo Núcleo de Políticas Educacionais (NuPE) e pela linha de pesquisa em Políticas Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFPR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Published by Educational Policies Research Centre (NuPE) and by Educational Policy Research Group at Graduate Program in Education (PPGE / UFPR), Federal University of Paraná (UFPR), Brazil.

Publicado por el Núcleo de Política Educativa (NuPE) y por la línea de investigación en Políticas Educativas del Programa de Posgrado en Educación (PPGE / UFPR), de la Universidad Federal de Paraná (UFPR).

 Contatos: +55 41 35356264

E-mail: jpe@ufpr.br