LEVANTAMENTO DAS ÁREAS POTENCIAIS À EROSÃO LAMINAR COMO SUPORTE À DETECÇÃO DAS ÁREAS-FONTE AO ASSOREAMENTO NA BARRAGEM PIRAQUARA I

LEANDRO JOSÉ RIBEIRO GUIMARÃES, LEONARDO JOSÉ CORDEIRO SANTOS

Resumo


A barragem Piraquara I abastece parte considerável da cidade de Curitiba e Região Metropolitana. A tendência de crescimento da população a ser atendida por esta barragem indica a necessidade de preservação da qualidade da água distribuída a seus habitantes. Uma vez que as bacias hidrográficas são naturais contribuidoras de sedimentos em reservatórios, procurou-se levantar as principais áreas-fonte potenciais ao assoreamento na barragem Piraquara I. Em função de uma visão sistêmica das bacias hidrográficas e das interações entre os processos físicos e humanos que a compreendem, a metodologia deste estudo procurou integrar as características pedológicas, do relevo e uso e ocupação do solo para o diagnóstico do potencial erosivo laminar. A erosão laminar é raramente detectada nos estágios iniciais, quando o fluxo de água concentrado a escorre e começa acelerar, provocando o deslocamento das partículas do solo. Quando esses processos erosivos são identificados ainda no início, a recuperação das áreas ainda pode ser facilmente alcançada, ao evitar que o depósito de sedimentos (assoreamento) ocorra a partir do fluxo de transporte destas partículas pelos cursos fluviais, preservando e mantendo, desta maneira, a quantidade e qualidade do abastecimento de água. Algumas áreas apontam para uma preocupação no sentido de preservação, em virtude do alto potencial ao assoreamento na barragem Piraquara I.

Palavras-chave


Piraquara I; Erosão; Assoreamento; Barragem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v2i2.12106



Revista Geografar ISSN: 1981-089X