Literacia científica: leitura e produção de textos científicos

José Morais, Régine Kolinsky

Resumo


Após discussão do termo e do conceito de literacia, da sua história e do seu contexto sociocultural, são referidas as condições da aprendizagem da leitura e da escrita no sistema alfabético e distinguidos diferentes tipos de “letrado”. É apresentado o subconceito de literacia científica, esboçada a sua história e discutida a sua ambiguidade, concluindo que ele deve incluir tanto a produção escrita da ciência como o conhecimento e compreensão que as pessoas têm desta. É analisada e comentada a parte de leitura e de produção de texto na atividade científica, assim como a relação íntima entre leitura e escrita de texto, e são considerados os hábitos e as exigências das publicações. São ilustrados os baixos níveis da “consciência científica” na população, inclusive na estudantil, e do ensino da ciência na escola, é recomendada a leitura precoce de artigos científicos e considerada favoravelmente a tendência atual à aproximação e em certos casos integração das literacias científica e literária. O estado da literacia (mais precisamente da capacidade de leitura) no contexto da globalização capitalista neoliberal e no Brasil em particular são considerados como travões à generalização da literacia científica. Enfim, é defendida a importância da ciência experimental da cognição e da linguagem e de uma maior orientação do ensino para o desenvolvimento das capacidades de “inteligência fluida”.

Palavras-chave


Literacia; Literacia científica; Literacia literária; Ciência da literacia; Ensino da ciência

Texto completo:

PDF DOI


Qualis A1

Publicado pelo Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Contatos: (55) 41- 3535-6207 

E-mail: educar@ufpr.br

E-mail: educar.ufpr2016@gmail.com