Open Journal Systems

O afeto como um processo de desenvolvimento ecológico

Eva Diniz, Silvia Helena Koller

Resumo


O presente artigo descreve a importância do afeto como um dos elementos essenciais para o desenvolvimento humano e, por isso, considerado como intrínseco à Abordagem Bioecológica do Desenvolvimento Humano, formulada por Bronfenbrenner. O afeto traduz-se pela capacidade do ser humano estabelecer relações, nas quais se criam vínculos e, por esse mo­tivo, poderá ser descrito como um processo do desenvolvimento ecológico. Assim, neste artigo, a presença do afeto nas relações foi proposta como um elemento imprescindível na efetividade dos processos proximais. Além disso, o afeto foi descrito como um dos fatores que asseguram a continuidade do processo desenvolvimental ao longo das várias fases que compõem o ciclo de vida e poderá ser considerado como o principal componente de superação da mudança, ao longo do desenvolvimento. O afeto, como elemento de desenvolvimento, resulta da interação do indivíduo com o meio em que está inserido. Nessa perspectiva, foi um elemento considerado transversal aos vários sistemas da Abordagem Bioecológica: microssistema, mesossistema, exossistema e macrossistema, nos quais se discutiu a importância do afeto em cada um desses níveis. Por fim, destacou-se a necessidade de estabelecerem-se relações afetivas ao longo do tempo, para que possam ser fortalecidas as capacidades de adaptação às diversas exigências, dificuldades do desenvolvimento humano e, assim, o afeto constitui-se como um elemento que assegura estabilidade e segurança no decorrer desse processo.

Palavras-chave: Afeto; Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano;

Processos Proximais; Mudança; Estabilidade.


Texto completo:

PDF DOI