SUPERVISÃO CLÍNICA EM ENFERMAGEM PARA OTIMIZAR A AVALIAÇÃO DO AUTOCUIDADO

Inês Alves da Rocha e Silva Rocha, Manuel Agostinho Caldas Rodrigues, Cristina Maria Correia Barroso Pinto, António Luís Rodrigues Faria de Carvalho

Resumo


Objetivo: avaliar a concordância no grau de dependência do autocuidado atribuído pelo perito, enfermeiros e registros, identificando estratégias de supervisão clínica que os enfermeiros implementassem para otimizar a avaliação do autocuidado. Método: estudo descritivo-exploratório, quantitativo, com 108 utentes e 44 enfermeiros de um hospital do norte de Portugal. Em 2017, aplicou-se o “Instrumento de Avaliação do Autocuidado” e o “Questionário de Avaliação da Frequência de Estratégias de Supervisão Clínica em Enfermagem”. Realizou-se análise estatística descritiva e calculou-se o coeficiente de concordância. Resultados: a concordância entre perito e enfermeiros na avaliação do grau de dependência do autocuidado alimentar-se e posicionar-se é fraca, mas moderada no autocuidado higiene. O “feedback”, “formação contínua” e “apoio” são as estratégias que os enfermeiros mais gostariam de implementar. Conclusão: é essencial que as organizações de saúde avaliem a concepção dos cuidados prestados, e identifiquem estratégias de supervisão clínica, de forma a potenciar sua melhoria.


Palavras-chave


Enfermagem; Supervisão de Enfermagem; Autocuidado; Diagnóstico de Enfermagem; Estratégias

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v26i0.78884 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133