SINTOMAS DE DEPRESSÃO EM PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

Fernanda Maria Vieira Pereira Ávila, Maithê de Carvalho e Lemos Goulart, Fernanda Garcia Bezerra Góes, Ana Cristina de Oliveira e Silva, Fernanda Carla Pereira Duarte, Claudia Pontes Braz de Oliveira

Resumo


Objetivo: identificar sintomas de depressão em profissionais de enfermagem durante a pandemia de covid-19.
Método: estudo transversal e observacional, via formulário eletrônico, nas cinco regiões do Brasil, entre profissionais de enfermagem. Utilizou-se instrumento com informações gerais e o Patient Health Questionnaire-9 para identificar sintomas de depressão. Adotaram-se testes de hipóteses t de Student e Análise de Variância.
Resultados: participaram 3249 profissionais. Destes, 2092 (64,4%) não apresentaram ou apresentaram sintomas mínimos de depressão, 603 (18,6%) moderados, 330 (10,2%) sintomas de moderado a severos e 224 (6,9%) sintomas severos. Mulheres, trabalhadores da região Norte, adultos jovens, solteiros e com renda de até quatro salários apresentaram escore de depressão mais elevados (p<0,05).
Conclusão: os profissionais de enfermagem não apresentaram ou apresentaram sintomas leves de depressão. Variáveis como sexo, faixa etária, estado civil, região do país, ter contato com pessoas com covid-19 e não usar máscaras tiveram diferenças significativas com sintomas de depressão.


Palavras-chave


Sintomas Depressivos; Enfermagem; Infecções por Coronavírus; Pandemia; Saúde Mental.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v26i0.76442 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536