DEPRESSÃO EM GESTANTES ATENDIDAS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Bianca Aparecida Brito da Silva, Walisete de Almeida Godinho Rosa, Iácara Santos Barbosa Oliveira, Monique Godinho Rosa, Nariman de Felício Bortucam Lenza, Vanessa Luzia Queiroz Silva

Resumo


Objetivo: identificar a presença de depressão em gestantes acompanhadas pelo programa de prénatal na Atenção Primária à Saúde.
Método: estudo descritivo, exploratório, de abordagem quanti-qualitativa, realizado em duas etapas: aplicação do Inventário de Depressão de Beck e entrevista semiestruturada. Os dados foram analisados a partir de estatística descritiva simples e análise de conteúdo.
Resultados: a aplicação do Inventário de Depressão de Beck mostrou que, das 67 gestantes entrevistadas, 22 (33%) apresentaram quadros depressivos, 14 (64%) com depressão leve a moderada, e duas (9%) apresentaram depressão grave. Das entrevistas emergiram dois temas: Vivência do período gestacional e Consulta de enfermagem e abordagem de saúde mental no pré-natal.
Conclusão: o estudo evidenciou que a depressão na gestação é frequente. A consulta de enfermagem no pré-natal pode ser uma oportunidade para a detecção, diagnóstico precoce e melhoria na assistência à gestante.


Palavras-chave


Transtorno Depressivo; Gravidez; Enfermagem; Atenção Primária à Saúde; Saúde Mental.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v25i0.69308 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133