ENFERMEIRO & GRUPOS EM PSF: POSSIBILIDADE PARA PARTICIPAÇÃO SOCIAL

Maria da Anunciação Silva, Alice G. Bottaro de Oliveira, Edir Nei Teixeira Mandú, Samira Reschetti Marcon

Resumo


O trabalho com grupos, no Programa Saúde da Família (PSF), pode se constituir como tecnologia assistencial e de empoderamento de pacientes e da comunidade para o exercício da cidadania. Objetivo: analisar se o trabalho com grupos, nesse contexto, se constitui como espaços geradores ou potencializadores de participação da comunidade e controle social do serviço. Métodos: pesquisa exploratório-descritiva em oito Unidades de Saúde da Família (USF) de Cuiabá. Resultados: os enfermeiros realizam grupos com os recortes programáticos vigentes na prática da saúde pública tradicional. Os grupos se reduzem à informação coletiva sobre doenças e tratamento e se consolidam como estratégia assistencial enquanto a dimensão de empoderamento para o exercício da cidadania é reduzida.


Palavras-chave


Saúde da família; Promoção da saúde; Cuidados primários de saúde; Educação em saúde; Family health; Health promotion; Primary health care; Health education; Community participation; Salud de la familia; Promoción de la salud; Atención primaria de salud

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v11i2.6856 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133