DESFECHOS RELACIONADOS AO CATETER VENOSO CENTRAL DE INSERÇÃO PERIFÉRICA E À DISSECÇÃO CIRÚRGICA EM RECÉM-NASCIDOS

Higor Pacheco Pereira, Regiane Queiroz Afonso, Débora Maria Vargas Makuch, Susanne Elero Betiolli

Resumo


Objetivo: investigar os desfechos relacionados ao cateter central de inserção periférica e à dissecção cirúrgica em neonatos de uma unidade de terapia intensiva.
Método: estudo quantitativo transversal retrospectivo, realizado em hospital infantil no Paraná. Coletaram-se os dados em setembro de 2017, por meio das fichas  referentes aos neonatos internados no período de janeiro a dezembro de 2016, que utilizaram cateter central de inserção periférica ou dissecção cirúrgica. Aplicou-se estatística descritiva e de associação.
Resultados: analisaram-se 165 fichas, sendo 134 cateteres de inserção periférica (81,2%) e 31 dissecções cirúrgicas (18,8%). Os cateteres apresentaram menor quantitativo de infecção comparado às dissecções (6% e 16,1%, respectivamente). Associaram-se ao tipo de dispositivo as variáveis: local de inserção (p<0,001), fixação do curativo (p<0,001), medidas de protocolo operacional padrão (p<0,001), indicadores de eventos adversos (p<0,001), com destaque ao extravasamento
associado à dissecção cirúrgica (p=0,006).
Conclusão: sugerem-se maiores benefícios aos neonatos frente ao cateter de inserção periférica.

 


Palavras-chave


Cateterismo Venoso Central; Recém-Nascido; Terapia Intensiva Neonatal; Cateterismo Periférico; Enfermagem Neonatal.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v25i0.68266 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536