COMPLETUDE E ATRASO VACINAL DAS CRIANÇAS ANTES E APÓS INTERVENÇÃO EDUCATIVA COM AS FAMÍLIAS

Priscila Costa, Nívia Figueiredo de Almeida Meneses, Carolina Jacomini do Carmo, Katherine Solís-Cordero, Claudia Nery Teixeira Palombo

Resumo


Objetivo: avaliar a completude e o atraso vacinal das crianças de um centro de educação infantil antes e após uma intervenção educativa com as famílias.
Método: estudo do tipo antes e depois, realizado em um centro de educação infantil em São Paulo de fevereiro a abril de 2017. A intervenção consistiu no envio de lembretes e folhetos às famílias sobre a importância da vacinação. A situação vacinal foi verificada através da Caderneta de Saúde da Criança. Foram utilizados os testes qui-quadrado e exato de Fisher.
Resultados: participaram do estudo 151 crianças e suas famílias antes e 145 depois. A prevalência da completude vacinal passou de 81,5% para 93,1% após a intervenção (p=0,003). O atraso vacinal foi mais frequente entre crianças menores de dois anos e aquelas do sexo mascuilno.
Conclusão: a intervenção contribuiu para o aumento da completude vacinal por meio da educação em saúde das famílias das crianças.


Palavras-chave


Imunização; Creches; Saúde da Criança; Educação em Saúde; Enfermagem em Saúde Pública.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v25i0.67497 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133