APRENDIZAGEM EXPERIENCIAL E DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DE ENFERMAGEM: REVISÃO INTEGRATIVA DE LITERATURA

Paula Bresolin, Jussara Gue Martini, Daniele Delacanal Lazzari, Isis da Silva Galindo, Jeferson Rodrigues, Maria Helena Pires Araújo Barbosa

Resumo


Objetivo: este estudo tem como objetivo conhecer as contribuições da aprendizagem experiencial
para a conquista das competências gerais previstas nas Diretrizes Curriculares Nacionais de
Enfermagem.
Método: realizou-se revisão integrativa, no período de janeiro de 2013 a agosto de 2017.
Resultados: para sistematizar a discussão dos resultados, os 43 artigos selecionados foram
apresentados a partir das competências gerais definidas nas Diretrizes Curriculares Nacionais.
Conclusão: Evidenciou-se que a aprendizagem experiencial como estratégia de ensino e
aprendizagem na enfermagem e suas contribuições alcançam as competências e habilidades
gerais definidas pelas Diretrizes Curriculares Nacionais. A habilidade de Atenção à saúde foi a
mais abordada nos estudos. Ressalta-se que a aprendizagem experiencial é potencializada quando
atinge pensamento crítico-reflexivo na formação profissional. A simulação, abordada nos artigos
selecionados, foi a metodologia efetiva de ensino para estudantes de enfermagem.


Palavras-chave


Educação em Enfermagem, Educação Baseada em Competências, Enfermagem, Ensino, Aprendizagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v24i0.59024 ';



URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133