DEFICIÊNCIAS MOTORAS E GRAVIDADE DE TRAUMAS EM MOTOCICLISTAS VÍTIMAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO

Eunice Beatriz da Silva Freitas, Inácia Sátiro Xavier de França

Resumo


Objetivo: relacionar as deficiências motoras adquiridas por motociclistas vítimas de acidentes com a gravidade dos traumas sofridos. Método: estudo quantitativo, descritivo, transversal, realizado a partir de dados secundários extraídos de 439 laudos de acidentes motociclísticos ocorridos no Estado de Pernambuco no ano de 2016. Para classificação da gravidade das lesões, utilizou-se a Condensed Abbreviated Injury Scale e para classificação das deficiências a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Foi realizada a análise estatística descritiva dos dados. Resultados: a alteração mobilidade das articulações prevaleceu nos motociclistas com gravidade leve (73,7%), e as alterações mobilidade óssea, padrão da marcha e força muscular prevaleceram nos motociclistas que apresentaram risco grave - com ameaça a vida (88,9%, 77,8% e 33,3%, respectivamente). Conclusão: os achados refletem a magnitude da problemática dos acidentes envolvendo motocicletas, e a necessidade de estratégias preventivas e de promoção da saúde.


Palavras-chave


Pessoas com deficiência; Acidentes de trânsito; Motocicletas; Promoção da saúde; Enfermagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i4.57751 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133