DEPRESSÃO E QUALIDADE DE VIDA EM ADULTOS COM HIPERTENSÃO

Maria de Fátima Mantovani, Juliana Perez Arthur, Ângela Taís Mattei, Carina Botolato-Major, Elis Martins Ulbrich, Luciana Puchalski Kalinke

Resumo


O objetivo deste estudo foi investigar a relação entre a depressão e a qualidade de vida em adultos com hipertensão. Pesquisa quantitativa com delineamento transversal, realizada com 387 adultos com hipertensão, no período de 2014 a 2015, em 18 Unidades Básicas de Saúde da cidade de Curitiba, Paraná. Os instrumentos utilizados para avaliar a qualidade de vida e depressão foram, respectivamente, o Medical Outcomes Study 36-Item Short Form Health Survey e o inventário de Beck. Observou-se correlação significativa entre os piores escores de qualidade de vida e a presença de depressão, com diferenças elevadas entre as médias nos domínios aspectos emocionais (Intervalo de Confiança = 95%: 26,72% – 42,08%) e saúde mental (Intervalo de Confiança = 95%: 20,21% – 28,73%). Conhecer esta relação pode contribuir para o enfermeiro no planejamento do cuidado à pessoa com hipertensão, na melhora dos sintomas depressivos e consequentemente na qualidade de vida.


Palavras-chave


Qualidade de vida; Depressão; Hipertensão; Enfermagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i3.51630 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133