CULTURA DE SEGURANÇA ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL DE ENSINO

Elaine Drehmer de Almeida Cruz, Denise Jorge Munhoz da Rocha, Aline Batista Mauricio, Francielle de Souza Ulbrich, Josemar Batista, Eliane Cristina Maziero

Resumo


Objetivo: avaliar a cultura de segurança organizacional entre os profissionais de um hospital de Ensino. Método: estudo tipo survey com 645 profissionais de um hospital de ensino no Estado do Paraná, de outubro de 2014 a julho de 2015, utilizando instrumento autoaplicável da Agency for Health care Research and Quality. Variáveis quantitativas foram representadas em percentuais; quando ≥75% das respostas foram positivas, cultura de segurança satisfatória; 74 a 51% neutra; e ≤50% frágil. A confiabilidade foi mensurada pelo coeficiente Alfa de Cronbach. Resultados: maior índice foi obtido na dimensão “Expectativas sobre o seu supervisor/chefe e ações promotoras da segurança”, com 70,8% (n=455) de respostas positivas e “Respostas não punitivas ao erro” o menor, com 25,6% (n=164). O coeficiente Alfa de Cronbach obteve média de 0,62, mostrando baixa
confiabilidade. Conclusão: resultados mostram cultura de segurança insatisfatória e relevância de ações de promoção, com destaque à abordagem coletiva e não punitiva de erros.


Palavras-chave


Cultura organizacional; Pessoal de saúde; Segurança do paciente; Gestão da qualidade; Indicadores de qualidade em assistência à saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i1.50717 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133