ESTRATÉGIAS DEFENSIVAS DE EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA AO SOFRIMENTO NO TRABALHO*

Cecília Helena Glanzner, Agnes Olschowsky, Maria de Lourdes Custódio Duarte

Resumo


RESUMO: Objetivo: analisar quais as estratégias defensivas que profissionais de equipes de Saúde da Família utilizam para se proteger do sofrimento no trabalho na perspectiva da Psicodinâmica do Trabalho. Método: trata-se de estudocom abordagem qualitativa, descritiva e analítica, realizado em três Unidades de Saúde do sul do Brasil, que foram selecionadas intencionalmente, nos meses de outubro a dezembro de 2012. Participaram do estudo todos os integrantes das equipes totalizando 68 profissionais. As informações foram coletadas por observação e entrevistas coletivas, analisadas conforme Bardin, emergindo duas categorias: estratégias coletivas e individuais de defesa. Resultados: na primeira categoria, os profissionais apontaram o compartilhamento do trabalho em reuniões e, como estratégias individuais, a negação, a racionalização e o reconhecimento. Considerações finais: os profissionais têm buscado estratégias de enfrentamento do sofrimento provocado pelo próprio trabalho utilizando-se de seus recursos internos e do coletivo para enfrentá-lo e transformando o trabalho em fonte de prazer e saúde.

Palavras-chave


Enfermagem; Saúde da Família; Saúde do trabalhador; Avaliação em Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i1.49847 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133