MONITORAMENTO DO MESOTELIOMA NO SUL DO BRASIL: UMA REALIDADE AINDA A SER ESTUDADA

Francisco José Koller, Leila Maria Mansano Sarquis, Maria de Fátima Mantovani, Fernanda Moura D’Almeida Miranda, Dario Consonni, Carolina Mensi

Resumo


O Brasil é um dos maiores produtores de crisotila do mundo, mas a ocorrência de mesotelioma é aparentemente baixa. No entanto, a identificação dos casos torna-se difícil por causa de erros de diagnóstico e registro de morte. Este é um estudo epidemiológico, descritivo e retrospectivo de registros hospitalares do Instituto Nacional de Câncer do Brasil, foram selecionados registros câncer de pleura ou histologia do mesotelioma entre 2001-2014. Foram identificados 208 registros, entretanto apenas 58 casos com histologia de mesotelioma. Notavelmente, 13 (22%) tinham sido codificados incorretamente como câncer de pulmão. A última atividade laboral estava ausente em metade dos casos. Concluiu-se que os dados hospitalares existentes em relação ao mesotelioma ainda são inadequados por imprecisão e codificação errônea. Além disso, nos registros ainda não existem informações do local de trabalho, bem como da ocupação. Estes achados confirmam a necessidade de um registro de casos de mesotelioma.


Palavras-chave


Mesotelioma; Amianto; Epidemiologia.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i1.49192 ';





Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Versão impressa ISSN 1414-8536 (para edições publicadas até 2014)

Versão eletrônica ISSN 2176-9133