PRÁTICAS DE ENFERMAGEM EMPREENDEDORAS E AUTÔNOMAS

Joice Aparecida de Morais, Maria do Carmo Lourenço Haddad, Mariana Angela Rossaneis, Larissa Gutierrez de Carvalho da Silva

Resumo


Estudo descritivo, com abordagem quantitativa, teve como objetivo caracterizar as práticas de enfermagem empreendedoras no Estado do Paraná. Foi realizada uma amostra intencional por convite a 11 enfermeiros com empreendimentos na área da saúde, os dados foram coletados por meio de questionário online. Os resultados apontam uma população adulta jovem; com prevalência feminina e experiências profissionais variadas. O interesse pelo empreendedorismo surgiu da busca pela satisfação profissional; a gestão de negócios foi destacada como habilidade necessária para empreender. Em relação às facilidades e dificuldades para abrir o próprio negócio, destaca-se o apoio de outros profissionais e as questões burocráticas; os participantes mostraram-se satisfeitos com seus empreendimentos. Conclui-se que a enfermagem tem caminhado e explorado um novo mercado, promovendo a profissão como capaz de conduzir sua prática de forma autônoma e inovadora.


Palavras-chave


Autonomia profissional; Serviços de enfermagem; Mercado de trabalho; Empresas e organizações de serviço.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v18i4.46422 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133