SATISFAÇÃO PROFISSIONAL: PERCEPÇÃO DE ENFERMEIROS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Amanda Ceschini Rigue, Graziele de Lima Dalmolin, Katiane Sefrin Speroni, Julia Zancan Bresolin, Andreia Aldair Rigue

Resumo


Objetivou-se investigar a satisfação profissional percebida de enfermeiros de uma instituição hospitalar do Sul do Brasil. Pesquisa quantitativa, desenvolvida com 144 enfermeiros de um hospital universitário, no período de dezembro de 2014 a fevereiro de 2015, utilizando-se o Índice de Satisfação Profissional. Os resultados evidenciaram que 79,2% (n=114) dos enfermeiros referem possuir autonomia, porém 47,9% (n=69) precisam realizar atividades que vão contra seu melhor julgamento em algumas situações. Para 75,7% (n=109) a interação com equipe de enfermagem é satisfatória, enquanto para 70,1% (n=101) a interação com médicos é permeada pela desvalorização do trabalho e conhecimentos. Quanto ao salário atual, 79,2% (n=114) o consideram satisfatório; 93,8% (n=135) consideram seu trabalho importante; 88,2% (n=127) estão satisfeitos com o trabalho realizado, e, 80,6% (n=116) consideram que as atividades burocráticas dificultam uma assistência mais qualificada. Ressaltamos a importância das instituições avaliarem as necessidades dos profissionais e buscarem estratégias para aumentar sua satisfação.

Palavras-chave


Assistência de enfermagem; Enfermagem; Satisfação no trabalho; Saúde do trabalhador.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v21i3.46199 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133