CULTURA DE SEGURANÇA DO PACIENTE EM ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR

Ana Cláudia de Azevêdo Bião e Silva, Darci de Oliveira Santa Rosa

Resumo


Estudo do tipo survey realizado em maio de 2015 que descreveu a cultura de segurança do paciente em organização hospitalar. Do total de 511 profissionais de enfermagem, 267 pessoas compuseram a amostra aleatória, 128 atenderam aos critérios de inclusão e responderam ao Questionário “Pesquisa sobre Segurança do Paciente em Hospitais”, perfazendo taxa de resposta de 47,94%. Das dimensões da cultura de segurança, destacaram-se com respostas negativas, “Trabalho em equipe na unidade” com 67% (338), “Expectativas sobre o seu supervisor/chefe e ações promotoras da segurança do paciente” com 66,3% (330), “Aprendizado organizacional – melhoria contínua”, 53,8% (198) e “Transferências internas e passagens de plantão” com 50,9% (255), representando as principais áreas com potencial de melhoria. Não houve dimensões com respostas globais positivas definidas com área de força. Urge responsabilidade compartilhada em implementar estratégias que visem corrigir as fragilidades encontradas em prol de uma assistência qualificada, eficaz, efetiva e segura.

Palavras-chave


Cultura; Cultura organizacional; Hospital; Segurança do paciente; Enfermagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v21i5.45583 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133